Notícias de Beleza

Empreendedorismo feminino cresce em Alagoas

Em 2011, o número de mulheres empregadoras e trabalhadoras por conta própria chegou a 87 mil no estado

cidades

É cada vez mais evidente o número de mulheres empreendedoras, sobretudo aquelas que deixam de ser apenas donas de casa para abrir o seu próprio negócio e crescer na vida. O empreendedorismo feminino aumentou 21,4% na última década, enquanto que o aumento no número de empreendedores masculinos foi de 9,8%. Atualmente, as mulheres correspondem a 46% do total de Microempreendedores Individuais (MEI) do Brasil, ao mesmo tempo em que 40% delas também são chefes de família.

Esses números expressivos fazem parte do diagnóstico do Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas, elaborado pelo Sebrae e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que reúne dados do início da década até o ano de 2011.

As estatísticas ainda mostram que a diferença salarial entre homens e mulheres é bem menor quando são observados os pequenos negócios; neles, a diferença é 24%. Já nas grandes companhias brasileiras, os homens ganham 44% a mais que as mulheres.

Em Alagoas, até o ano de 2009, 73 mil mulheres eram empregadoras ou trabalhavam por conta própria. Em 2011, esse número chegou a 87 mil. Já o número de empreendedores (empregadores e trabalhadores por conta própria, ao mesmo tempo) do sexo feminino, levando em conta os ocupados, que era 15,4%, em 2009, chegou a 20% em 2011.

Roberval Cabral, diretor de Administração e Finanças do Sebrae Alagoas, fala sobre a importância desse crescimento e das ações do Sebrae para que esse número aumente. "Os dados mostram claramente que a desigualdade entre homens e mulheres no mundo do empreendedorismo diminuiu. Ações como o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, por exemplo, contribuem ainda mais para a diminuição dessa diferença aqui no estado", destacou.

As mulheres empreendedoras têm características específicas e favoráveis ao seu desempenho, porque conciliam melhor suas atividades pessoais e profissionais; investem mais em capacitação; e são mais detalhistas, sensitivas e intuitivas, o que contribui na gestão de negócios, principalmente quando aliadas a coragem, iniciativa e determinação.

Sebrae e Empreendedorismo Feminino

Observando esse público, o Sebrae oferece ações como o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, que é realizado anualmente desde 2004. No ano passado, o prêmio, que reconhece empresárias de sucesso, contou com mais de 5,4 mil inscrições em todo o Brasil.

Além disso, o curso Mulher Empreendedora, desenvolvido pelo Sebrae Nacional, é outra iniciativa voltada especificamente para despertar o empreendedorismo no universo feminino. Nesse caso, para aquelas que são de comunidades onde o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é baixo. O curso aborda os temas "Fortalecendo a Identidade Feminina", "Cultivando a Autoestima", "A Mulher Empreendedora" e "Tornando-se uma Mulher Empreendedora".

Fonte: Tribuna Hoje