Notícias de Beleza

Série ‘Mercado da Beleza’ destaca a capacitação dos profissionais

Na 2ª reportagem sobre o tema, veja quais são as opções para formação.
Série é exibida pelo Tem Notícias até quinta-feira (31).

beleza

Na terça-feira (29), foi exibida a segunda reportagem da série 'Mercado da Beleza' pela TV TEM em Itapetininga (SP). O assunto destacado neste segundo dia foi a capacitação dos profissionais que atuam no setor.
No mercado cada vez mais concorrido e com clientes exigentes, quem atua no setor quer se destacar, por isso, os cursos especializados estão sempre lotados. Em uma escola para cabeleireiros e manicures da cidade, as salas laboratório são concorridas. As alunas, futuras cabeleireiras, buscam um espaço no mercado da beleza e aprendem novas técnicas.

De acordo com a instrutora da unidade, Valéria de Morais, muitos alunas chegam sem nenhum conhecimento e saem habilitadas na função. "Outras já trabalharam em algum salão como auxiliares e procuram se qualificarem mais para poderem atender as pessoas tendo conhecimento. Elas saem realmente qualificadas e habilitadas na função", comenta.

Kelly Christiane Lopes de Oliveira é aluna do curso. Ela conta que resolveu mudar de vida, por isso, largou o emprego de taxista para cuidar de cabelos. Há três meses começou o curso e já sonha em montar o próprio salão. "Sempre gostei de mexer com cabelos e maquiagem. Parei com o meu antigo trabalho ao decidir fazer o que realmente gosto, o que sempre sonhei desde criança", comenta.

Segundo a coordenadora pedagógica do curso, Rose Moraes, o investimento em capacitação tem retorno garantido. "Hoje temos mulheres e homens procurando uma profissão, uma independência financeira. Eles buscam montar seu próprio negócio, montar seu próprio salão. O setor da beleza é um ramo onde eles vão encontrar essas oportunidades", comenta.

De acordo com a Associação Brasileira de Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, o Brasil é o terceiro maior mercado de beleza do mundo ficando atrás apenas dos Estados Unidos e Japão. Só este ano os brasileiros devem gastar R$ 36 bilhões para cuidar da aparência.

Outro estudo, feito por uma empresa especializada em fornecer banco de dados, indica que o Estado de São Paulo tem mais de 57 mil empresas na área da beleza cadastradas e que lidera entre os estados que mais se desenvolvem no mercado.

Para atender toda a demanda de profissionais, os cursos de formação são importantes e todos os anos inserem no setor milhares de novos profissionais. Os gratuitos são muito procurados e dão oportunidade para a população de baixa renda.

Em Itapetininga, o Fundo Social de Solidariedade (FSS) tem aproximadamente 90 aprendizes de cabeleireiro, manicure e pedicure. "A maioria já está trabalhando não só como auxiliar, mas também como profissional. Muitos já conseguem atender a domicílio ou até mesmo levar os clientes para a própria casa, onde montam em um cômodo ou na varanda o seu salão. Assim vão fazendo o trabalho", comenta a professora do curso Deise Lídio.
O curso de manicure e pedicure do FSS já tem quatro turmas formadas. Com duração de 96 horas, os alunos concluem as aulas e recebem um certificado. Jenny Aparecida Santos Souza é aluna e conta que a formação é importante. "Aprendi aqui desde como segurar na mão da cliente. Aprendi também que é precisa usar luvas e máscara. Eu não sabia que precisava usar", comenta.

Para a manicure e pedicure Crisleine Alves de Oliveira, dedicação, empenho, estar bem treinado e atualizado são características importantes, como em qualquer carreira. Ela ressalta que no setor da beleza se destacam as pessoas que buscam apresentar ao cliente um diferencial. Preocupada em se manter atualizada, ela afirma que além de ter feito um curso para se especializar em podologia estética, sempre traz novidades para os clientes. "A gente sempre traz novos cremes e esmaltes e até mesmo porque as unhas fazem parte de um acessório. Combinando cores, tendência e marcas", afirma.

A esteticista Juliana Camargo também destaca sobre a importância da capacitação. Ela acabou de se formar em um curso de estética com duração de três anos. Abriu uma clínica em Itapetininga e está apostando nos conhecimentos extras em cosmetologia para conquistar a clientela.

"É a segurança no profissional, pois o cliente terá certeza que ele vai selecionar o tratamento certo para o cliente, selecionar os cosméticos e os aparelhos corretos. É um beneficio ao cliente porque ele está nas mãos de um profissional que estudou em uma faculdade não só a estética e a cosmetologia, mas estudou anatomia, fisiologia e nutrição. Esse é o diferencial de um esteticista para o mercado porque ele vai entender que conseguiu orientar seu cliente na foram da saúde como um todo, não como só para a função de estética", ressalta.

Fonte: G1