Notícias de Beleza

‘Náufrago do Pacífico’ conversa com família e passa por transformação

Reconhece-o agora? Depois de 14 meses à deriva, José Salvador Alvarenga corta cabelo e barba em hotel de Majuro por conta da embaixada americana

reproducao-naufrago-619x464

O pescador salvadorenho que passou 14 meses perdido no mar do Pacífico passou por uma transformação, como mostra nesta terça-feira o Daily Mail. José Alvarenga teve a barba e o cabelo cortados, conforme pediu. Além da mudança no visual, uma das primeiras coisas que o pescador fez foi entrar em contato com seus familiares, que mal podiam acreditar que ele foi resgatado com vida.

Alvarenga foi encontrado após 14 meses à deriva, a mais de 10 mil quilômetros do ponto de partida. Ele foi levado para o hospital onde passou por exames médicos e foi liberado após ser considerado apto. Ainda no hospital, o pescador teve sua primeira conversa com os pais e os irmãos pelo telefone. O pai, José Ricardo Orellana, disse ao jornal El Salvador's El Mundo que sentiu uma mistura de alegria e tristeza ao ouvir a voz do filho.

Em uma entrevista emocionante para o reconhecimento do filho, a mãe disse que rezava todos os dias para que o reencontrasse. Para ela, José é um "Milagre do Pacífico". Fátima, 14 anos, é filha do pescador e prometeu abraçar e beijar o pai assim que puder vê-lo.

Após ter alta no hospital, o pescador foi levado para um hotel na capital das Ilhas Marshall, Majuro, onde teve seu visual mudado por conta da embaixada americana. Ele afirmou que se sente um homem novamente e que não gostaria de ter aquela "aparência de velho" nunca mais, segundo o jornal.

José Alvarenga contou à imprensa que ele pensou em se matar quando se encontrou sem comida, num calor escaldante e na iminência de pegar qualquer doença grave, mas que pediu a Deus para o salvar.

Ele fica no hotel até sexta-feira quando voa para casa.

O caso
A história do pescador é incrível e tem ganhado mais credibilidade conforme o homem se lembra de mais detalhes com o tempo. A polícia das Ilhas Marshall não duvida de José Alvarenga.

Ele contou como conseguiu sobreviver comendo pequenos pássaros e quebrando seus pescoços para depois cortar a cabeça e beber o sangue dos animais.

José também contou que saíra para pescar tubarões com Ezequiel, 15 anos, e após terem pescado dois animais, o barco quebrou e, assim, ficaram à deriva.

Ezequiel morreu depois de quatro meses. Segundo o pescador, o menino não conseguiu se alimentar de pássaros e tartarugas.

O médico que está examinando Alvarenga realizou mais testes, especialmente do fígado e dos rins do homem, a maior preocupação por enquanto. Ele teve uma lesão hepática que, de acordo com o médico, pode ter sido causada depois de tanto tempo tomando sua urina e sangue de animais. A equipe do hospital destacou que, apesar das más condições, o pescador foi encontrado sem tosse, febre, coriza ou infecção. Ele, no entanto, apresenta edemas nas pernas.

Fonte: Terra