Notícias de Beleza

De acne a manchas: veja como resolver sete problemas de pele

skin-care-tips

Na lista dos principais vilões da beleza feminina, as implacáveis manchas, acnes e alergias são alguns dos problemas cutâneos que mais comprometem o visual em frente ao espelho se não forem tratados de forma adequada, podendo, inclusive, causar efeitos irreversíveis na pele ao longo dos anos.

Por isso, confira, a seguir, um conjunto de dicas elaborado especialmente para lhe ajudar a solucionar sete incômodos dermatológicos de maneira simples, rápida e totalmente eficaz. 

Acne e oleosidade 

Provocados na pele, principalmente, por motivos hormonais, que estimulam as glândulas sebáceas a produzirem ainda mais sebo, a acne e a oleosidade também podem aparecer em decorrência do uso de produtos muito cremosos em cútis já oleosas. Para evitá-las, no entanto, é imprescindível higienizar bem o rosto, remover completamente a maquiagem antes de dormir e optar somente por produtos específicos para evitar o famoso efeito “rebote”. 

“Também é importante limpar a pele duas vezes ao dia com sabonetes feitos à base de enxofre e ácido salicílico que contribuem para o controle da oleosidade, além de fazer, se possível, a limpeza de pele em consultório uma vez por mês (cada paciente deve ser avaliado individualmente) para auxiliar a remoção de cravos e diminuir os efeitos do problema”, indica Juliana Carnevale, dermatologista, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

 

Dermatite

 
Bastante comum quando há o contato da pele com alguma substância química com alto poder de irritabilidade e, até mesmo, em pessoas com rinite e asma que apresentam uma pele mais ressecada e sensível, a dermatite pode ser tratada com a hidratação intensiva da cútis, feita por meio de cosméticos sem cor e cheiro. Além disso, recomenda-se evitar, ao máximo, o contato com produtos químicos, não ficar coçando a área afetada para não piorar ainda mais a lesão e fugir de banhos com água muito quente, já que o hábito pode retirar a hidratação natural da derme, deixando-a mais ressecada e propícia às coceiras. 

 

Pele seca


Como costuma se manifestar, principalmente, em decorrência da baixa ingestão de líquidos, da falta de hidratação adequada, da exposição excessiva a ambientes frios e dos banhos quentes em excesso, o ressecamento cutâneo pode ser driblado com hábitos simples, como não usar roupas sintéticas (confeccionadas com tecido grosso), recorrer sempre ao banho com água morna ou fria, ingerir dois litros de água por dia e utilizar hidratante adequado para o tipo de pele. "Já em relação aos cosméticos, a dica é optar por produtos formulados com óleos e vitaminas que criam uma camada protetora”, afirma Tatiana Yumi Ogihara, dermatologista do Rio de Janeiro.

 

Manchas claras


Desencadeadas por causa de alergias, por uma exposição solar prolongada e repetida e também pelo desenvolvimento de doenças respiratórias (rinite, sinusite, bronquite e asma) e vitiligo, as manchas claras tem de ser combatidas com a não exposição ao sol das 10h às 16h. Além disso, vale realizar uma hidratação intensa, sobretudo nas áreas afetadas, prevenir micoses e usar cremes calmantes ou com corticoide em casos de coceira.

 

Manchas escuras


Comuns pelo contato direto com o sol, o uso de contraceptivos, pela gravidez ou após alguma lesão provocada por feridas, picadas ou acne, as manchas escuras devem ser evitadas com o uso diário de fotoprotetores e com medidas simples, como evitar coçar as lesões que estejam cicatrizando e não espremer ou cutucar espinhas. Outra dica importante é fugir da exposição solar entre as 10h e 16h, já que o sol pode provocar o surgimento de manchas escuras devido à ação dos raios UVA, UVB e infravermelho. 

“Como o fotoprotetor diminui o dano dos raios solares, mas não os bloqueia 100%, os cremes com ação clareadora, feitos à base de hidroquinona e ácidos clareadores, são uma boa opção, pois atuam no clareamento gradativo das manchas, assim como os cremes calmantes, que aliviam as coceiras e diminuem  a sua incidência, evitando ferimentos na pele e facilitando a sua cicatrização”, aconselha Tatiana. 

 

Pintas


Denominadas como nevos melanocíticos, as pintas costumam surgir na pele devido à herança genética, por uma inadequada exposição ao sol e, até mesmo, no período gestacional. Por isso,  no dia a dia, convém não manipulá-las ou coçá-las, não se expor ao sol forte, principalmente se a pele for branquinha ou tiver muitas marquinhas, além de usar filtro solar com fator de proteção maior ou igual a 30 e investir, em alguns casos, em pequenas cirurgias de remoção, realizadas somente em consultório.

 

Fonte: Terra